Por que aprender outro idioma na infância?

03/03/2017 16:34:03
Foto: Divulgação

O aprendizado de um idioma estrangeiro é fundamental para a formação e crescimento profissional de qualquer pessoa. Investir nisso desde a infância facilita o caminho e certamente apresentará bons resultados futuros. As crianças possuem total facilidade em absorver uma língua estrangeira de forma natural.

Portanto, dificilmente existirão dificuldades para lidar com um curso extra. Não é preciso abrir mão de nada. “É claro que horários, lazer, descanso e limites são essenciais para uma vida saudável e um curso ministrado de forma descontraída e divertida contribui para o desenvolvimento cognitivo e motor”, explica Sonia Cury, diretora pedagógica do Centro Britânico Idiomas.

Por que aprender outro idioma na infância?

É na infância que o nosso cérebro fica mais preparado para este tipo de aprendizado. “Isso porque nesse período, o cérebro apresenta seu ponto mais alto de plasticidade, o que propicia uma alta assimilação. A criança assimila tanto a língua materna como um segundo idioma simultaneamente”, esclarece Cury. O aprendizado de um segundo idioma ocorre de maneira natural por meio de atividades lúdicas, brincadeira, músicas, artes, entre outras.

Qual é a idade certa?

A criança irá absorver naturalmente o segundo idioma. “Estudos neurocientíficos apontam que a idade ideal para a aquisição da linguagem ocorre nos primeiros dez anos de vida”, explica Cury. Quando o estudo se inicia aos três anos, a criança já começa a se familiarizar com os novos sons, pronúncia, vocabulário e aos poucos assimila o conteúdo. A fixação de dois idiomas acontece de forma natural e estável, mesmo que a criança não utilize o segundo idioma por muito tempo, ele nunca será esquecido. A aquisição da fala e a descoberta do mundo são processos paralelos para a criança. Isso porque a língua estrangeira presente na infância e na adolescência, durante o desenvolvimento cognitivo do indivíduo, tende a ficar enraizada de forma semelhante à língua materna.

O benefício do estudo na infância

Quanto mais cedo se atinge a proficiência, mais sólida ela se torna. A criança assimila e consolida o novo idioma para o resto da vida, diminuindo a interferência de sotaque da língua materna. Portanto, é fundamental que o professor ensine a pronúncia correta do idioma.

Como começar a estudar?

No início ela absorverá as informações recebidas, entendendo as mensagens que são dirigidas a elas pelos professores e pais. Aos poucos ela irá experimentar o uso do vocabulário e depois das estruturas às quais foi exposta. “De forma lúdica, a criança aprende brincando”, reforça Cury. Pais, professores e educadores em geral podem utilizar esses recursos para o desenvolvimento de novas habilidades dos pequenos.

O objetivo é tornar o aprendizado mais atrativo, divertido e interessante para os pequeninos. “Jogos e histórias podem ser apostas pedagógicas muito úteis para aguçar a curiosidade em relação ao que está sendo ensinado. Aplicativos podem ser recursos interessantes para serem utilizados em família, por exemplo”, explica Sonia.

Escola de idiomas ou curso regular bilíngue?

Tanto uma quanto outra. O mais importante é a qualificação do professor em termos de conhecimento linguístico, pedagógico e comportamental. “O professor deve ser proficiente no idioma e estar muito bem preparado para ensinar crianças e adotar metodologia compatível à cada faixa etária”, conta a diretora pedagógica do Centro Britânico Idiomas.

Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações