Doenças oculares em cães

24/01/2017 16:40:45
Foto: Divulgação

Os cães têm a capacidade de enxergar cerca de 10 vezes mais em comparação aos seres humanos. A maioria das raças pode ver em um ângulo de 250 graus, mas esse excelente poder de visão não está imune às doenças oculares. Catarata, ceratite e glaucoma são os principais problemas que podem afetar gravemente o animal, levando, inclusive, à cegueira.

A catarata é a opacificação (esbranquiçamento) do olho do animal e ocorre quando há o envelhecimento do cristalino. Já o glaucoma ocorre quando os fluídos do olho não circulam ou não são drenados corretamente, acumulando-se e causando uma forte pressão dentro do globo ocular. Já a ceratite, por sua vez, é conhecida como inflamação da córnea.

“Quando o animal apresenta uma doença ocular, ele passa a ter sintomas como vermelhidão dos olhos devido à inflamação, secreções, lacrimejamento constante e opacificidade da córnea”, explica a veterinária Amanda Cologneze, responsável técnica do laboratório Mundo Animal. “Quando o dono notar qualquer um desses sintomas, deve levar o animal imediatamente a um veterinário”, completa.

Ainda segundo Amanda, não existe uma idade exata que favoreça o aparecimento dessas doenças oculares. “A doença pode ser congênita e a propensão depende mais da raça do animal do que de sua idade”, explica. Entre as raças mais propensas estão poodle, schnauzer, cocker e as braquicefálicas (que têm o focinho achatado).

Tratamento

Para cada doença ocular há um tratamento específico. Se o cão apresenta ceratite, deve ser descoberta a causa da irritação. Após a avaliação da causa primária, o animal pode ser tratado com antibióticos ou antiinflamatorios, podendo ser necessária a cirurgia. Se o cão apresenta catarata, a única forma de tratamento é por meio de intervenção cirúrgica. Já em casos de glaucoma, são indicados colírios específicos que podem diminuir a pressão dos olhos.

Quando o animal não é submetido a nenhum tipo de prevenção ou tratamento quando a doença já está instalada, as chances de perder a visão serão maiores. “Se realizada a prevenção e acompanhamento no veterinário com o devido tratamento, algumas doenças são reversíveis e outras podem ter seu quadro estagnado ou atrasado, promovendo o bem-estar do animal.”

Postado por MICHELLE TREICHEL- michelle@gazetadosul.com.br

Comentários postados:

Elton Schneider
27/01/2017 12:00:57
Sempre é salutar em ler suas postagens nobre jornalista Michelle. Acompanho seu trabalho faz anos, ainda mais depois da reportagem do nosso gato ¨PITTER¨, que sofreu violência. Hoje ele está com uns 9 Kg, vive tranquilamente conosco. É nosso xodó da casa. Parabéns ao seu belo trabalho. Abraços
Gazeta Grupo de Comunicações
Rua Ramiro Barcelos, 1206 | Santa Cruz do Sul - RS
(51) 3715-7800 | portal@gaz.com.br
Desenvolvido e Mantido por
Equipe de TI Gazeta Grupo de Comunicações